Programa Manhãs de Expressão Gráfica: registro das edições de 2019

O Programa Manhãs de Expressão Gráfica surgiu em janeiro de 2019 seguindo a linha de diversificação das minhas atividades profissionais. Minha formação como arquiteta permite que eu me dedique de diferentes formas ao processo criativo e à prática do registro de imagens, sejam elas compostas por figura humana, edificações ou a paisagem natural. Com isso, trabalhei em parceria com colegas arquitetos e professores universitários das disciplinas de Desenho de Observação, Desenho Artístico e Aquarela, unindo o que chamo “Experiência de Montanha” ao ensino do desenho e da pintura nas “Manhãs de Expressão Gráfica”, sobre as quais escrevo neste post.

Uma vez que objetivava agregar um valor diferenciado às aulas e oficinas externas, além do contato com a natureza, procurei oferecer também o uso de práticas contemplativas como caminhadas meditativas e/ou meditações guiadas que focassem na abertura dos sentidos, do corpo e das sensações para facilitar a observação da paisagem e do ambiente natural antes de iniciar a prática artística.

Muitos participantes foram de nível iniciante e os resultados alcançados com a abordagem superaram em muito minhas expectativas. Os feedbacks recebidos de alguns dos professores colaboradores também foram surpreendentes. Sua produção artística – que já era excelente – melhorou ainda mais por conta da aproximação proposta, que incluía sempre os momentos de silêncio e interiorização. Além disso, muitos não tinham o hábito do contato íntimo com a natureza, e, por conseguinte nunca haviam experimentado seus efeitos: o aumento dos níveis de serenidade, criatividade e produtividade durante a elaboração das aquarelas e desenhos.

“Notei que a imersão nos sons da floresta e a conscientização nos movimentos do corpo ao caminhar e ao meditar facilitaram, surpreendentemente, todo o processo do desenhar. Estou pintando melhor.”

Prof. Mirian Keiko Ito Rovo

A organização do Programa Manhãs de Expressão Gráfica incluiu a compatibilização dos cronogramas de todos, com as especialidades de cada um e os lugares mais adequados para cada técnica e temática. O gerenciamento ficou sob minha responsabilidade, assim como a divulgação e o recebimento das inscrições.

De janeiro a março de 2019 foram realizadas cinco Manhãs, registradas aqui. Cada uma durou cerca 4 horas. Comum a todas, a “Experiência de Montanha”, que incluiu noções da cultura de montanha, mínimo impacto, informações sobre a história do lugar da prática, além das trilhas, sempre de nível leve.

A partir da singela divulgação do resultado das Manhãs, percebi a demanda tanto pela “Experiência de Montanha” quanto pelas “Práticas Contemplativas”, o que me fez criar as “Manhãs de Interiorização”, oferecidas hoje pela Choice. Nelas, além da novidade do contato íntimo com a natureza que proponho a partir da minha vivência de mais de vinte anos em ambientes naturais, sendo doze como montanhista e praticante de escalada em rocha, insiro a oportunidade da experiência de momentos de silêncio e interiorização, coisa tão rara hoje em dia nesse mundo em constante transformação, velocidade, incerteza, inquietude e muitas escolhas divergentes.

A seguir, os registros das Manhãs de 2019.

MANHÃ NA PEDRA BONITA | AQUARELANDO A PAISAGEM

A Manhã de Expressão Gráfica na Pedra Bonita aconteceu no dia 6 de janeiro e contou com a colaboração da Prof. Ethel Pinheiro. Com ênfase na técnica de Aquarela, a Manhã teve uma ótima adesão: sete participantes, além de mim e da Ethel. A vista deslumbrante do cume da Pedra Bonita, em São Conrado, no Rio de Janeiro foi sem dúvida um forte apelo. A trilha leve permitiu a participação de pessoas que não costumam se dedicar à caminhadas em montanha. Como os momentos de interiorização são inseridos na caminhada, funcionam também como momentos de descanso.

MANHÃ NO PARQUE DA CATACUMBA | ÊNFASE EM GRAFITE E LÁPIS DE COR

A Manhã de Expressão Gráfica no Parque da Catacumba foi no dia 13 de janeiro, com a Prof. Glauci Coelho, e teve ênfase no desenho com grafite e lápis de cor. Em clima mais intimista, tivemos somente duas participantes. Foi possível dedicar mais tempo ao esclarecimento de dúvidas e às práticas contemplativas. A produção dessa Manhã foi surpreendente, tanto em termos de quantidade de desenhos, quanto em termos de qualidade. Participantes de nível iniciante puderam experimentar e explorar novas formas de olhar e perceber a paisagem e os objetos escultóricos, presentes no Parque. Peças de artistas contemporâneos fizeram parte da aula.

MANHÃ NA FLORESTA DA TIJUCA | CAPELA MAYRINK

Na Floresta da Tijuca no dia 27 de janeiro aconteceu a Manhã de Expressão Gráfica com o Prof. Rafael Fonseca, excelente aquarelista e professor. Escolhido o objeto arquitetônico a ser representado, foram muitos os ensinamentos em relação às aguadas, às 4 técnicas básicas, à pintura em camadas, valor tonal e obtenção de texturas com técnicas especiais.

MANHÃ NA FLORESTA DA TIJUCA | PERCURSOS SENSÍVEIS

A Manhã com a Prof. Mirian Keiko Ito Rovo trouxe a novidade dos “Percursos Sensíveis” e também aconteceu na Floresta da Tijuca, no dia 10 de fevereiro. Durante a trilha, o participante foi convidado a deixar que seus sentidos lhes fornecessem a matéria para a expressão criativa, prestando atenção aos diferentes sons, aromas, texturas, cores e clima da floresta e da manhã. Tudo que as experiências trouxessem à mente e ao coração, em conjunto com a forte sensibilização para o Desenho de Observação proporcionada pela primeira parte da oficina puderam fazer parte do material artístico produzido.

A história da Floresta da Tijuca – replantada pelos escravos Constantino, Eleuthério, Leopoldo, Manoel, Matheus e Maria (do Major Archer) e Sabino, Macário, Clemente, Antônio e Francisco (de Thomás Nogueira da Gama) após o decreto imperial de 1861 – foi apropriada sensivelmente por todos os participantes, no último trecho da oficina, a hora mais esperada da Manhã, com o uso das cores e das águas. Água, o motivo principal de D. Pedro II para a criação da Floresta da Tijuca.

MANHÃ NO PARQUE DA CATACUMBA | SIMPLIFICAÇÃO DA PAISAGEM

A última edição das Manhãs de Expressão Gráfica contou com a participação do Prof. Francisco Leocádio e aconteceu no Parque da Catacumba, no dia 17 de março. A proposta de trabalho consistiu em despertar a sensibilidade para o olhar simplificado da paisagem e para o aumento do campo perceptivo na direção da liberdade do olhar. Os participantes tiveram seu processo criativo desconstruído e os resultados alcançados foram maravilhosos.

Cada uma das Manhãs procurou trazer uma experiência diferenciada de montanha e expressão gráfica, além da presença de vários colegas arquitetos e professores, que com seus múltiplos olhares e modos de ensinar contribuíram com o aprendizado de todos. A troca foi essencial.